CONCEITO DE VITALISMO

E DOENÇA

O princípio vital e a saúde.

O princípio vital estava presente entre os conceitos científicos do século XVIII, largamente aceitos por cientistas, médicos, fisiologistas e biólogos. Para eles, é a força vital que, baseada em suas necessidades, estrutura, forma e configura a matéria, sendo a anatomia seu resultado visível. O médico Paul Joseph Barthez(1734-1806) reforça a ideia da Antiga Tradição de que o ser humano é uma estrutura ternária composta por uma alma espiritual racional, um corpo material e um princípio que anima a matéria (princípio vital). Afirma que a vontade do Ser só consegue atuar sobre o corpo por intermédio de uma força vital que confere ao corpo suas diversas propriedades biológicas. Esse Princípio Vital traduz a força intermediária entre alma e organismo, não imortal, de mesma ordem que os outros dois.

Os sistemas vivos são dotados de VITALIDADE, a energia mantenedora da vida. O Vitalismo defende a ideia de que os processos relacionados aos sistemas vivos como evolução, reprodução, integridade e desenvolvimento, são governados por um princípio vital de natureza imaterial, distinto da consciência e da matéria, mas que não existe apartado destes. Esse conceito é bem semelhante ao de Campos Mórficos de Rupert Sheldrake: um campo organizacional (o campo mórfico) que se desenvolve e mantém segundo sua própria espécie por ressonância mórfica. 

Hahnemann, inspirado em Hipócrates, afirmava que “a natureza da doença não é radicalmente diferente da saúde. As duas estão num continuum”. A consequênciadisto é que a enfermidade é vista como expressão da perturbação produzida pela força vital num organismo suscetível, que, sob ação de uma causa patógena, tenta recuperar o equilíbrio, com resultados dificilmente previstos.

Consultas:
 

Instituto Ananda Terapias Integradas

Av. Nossa Senhora de Copacabana, nº 664, sala 706.

Galeria Menescal, portaria 4

Copacabana - CEP: 22050-002

Rio de Janeiro/RJ

Agendamentos:
 

T. 21 2257-2403

C. 21 97681-6633