ESTE ANO VAI SER DIFERENTE

O que fazer para mudar.

DEZ 2018

A passagem dos anos nos recorda que a vida é cíclica: assim como a noite sucede ao dia e as estações seguem-se umas às outras, nossa existência também retorna várias vezes ao mesmo ponto, até que tenhamos transformado a dor em sabedoria. O eterno retorno nos dá a oportunidade de ampliar a forma de perceber o mundo, mudar alguns hábitos e reavaliar modos de agir. 

 

Neste ano estaremos vivendo sob a energia do Arcano XII do Tarô, o Dependurado, lâmina que apresenta um homem pendurado pelo pé, olhando as estrelas. Essa carta fala de acontecimentos inesperados, obrigando-nos a reconhecer que algo maior dirige nossas vidas e que somos impotentes diante do destino. Nesse momento, a única saída é refletir com calma e serenidade, buscando dentro de nós uma outra forma de olhar, perceber e avaliar as experiencias que se apresentam. 

O Enforcado, como também é conhecido, nos fala do mergulho nas estrelas, no céu interior de cada um, a fim de que alinhados com a

Alma imortal encontremos o caminho do coração, o único que nos leva de volta à Fonte do Ser. Mas este é um momento delicado, em que podemos nos sentir sem referência, sem raiz, sem chão. Estamos na noite escura da Alma, e muitas vezes ainda não aprendemos a encontrar a luz dentro de nós. 

Crises e oportunidades 

A dor do desconhecido entrou na vida da jovem. Realmente Luciana vivia momentos muito difíceis. Havia decidido que não sofreria mais e já tinha tudo planejado: naquele dia acabaria com a angustia e o desespero.

 

Ainda meio confusa e sem compreender muito bem, percebe que está num leito de hospital. Aparece um médico sereno e tranquilo e após observar sua pouca idade, pergunta por que ela havia feito aquilo. A moça decide abrir-se e dizer a verdade: 

 

- Não sei porque vim ao mundo. Vivo, mas não tenho vontade de viver. Se viver é sofrer, eu não quero mais. 

 

O doutor se dirige para o monitor que mede a frequência cardíaca, indica o traçado na tela e pergunta se ela sabe o significado daquelas linhas:

 

-  Sim; são meus batimentos, responde. 

- Não. O traçado indica os ciclos da vida, disse apontando para o visor: se na vida você não tiver altos e baixos, você morre. E continuou: 

- Você não está sozinha. Um dia entenderá porque está passando por tudo isso; você não pode é desistir. 

 

Nesse instante a jovem é tomada por intensa paz e o homem sai do quarto. Em seguida, entra a enfermeira para fazer o curativo e Luciana pergunta sobre o doutor que acabara de sair. 

 

Para sua surpresa, ficou sabendo que naquele dia o médico ainda não havia passado a visita. Deveria ser um enfermeiro, pensou, e começou a descrever suas características. Com gentileza e doçura, a enfermeira informa que esteve o tempo todo próximo ao quarto e que ninguém havia entrado ali. 

 

A Jovem chora. Como o Arcano XII, ela estava pendurada pelo pé, mas seus olhos podiam mirar o infinito, e pela primeira vez depois de muito tempo, perceber a tarde linda que fazia lá fora. Agora sabia que quando imaginamos caminhar absolutamente sozinhos, ali está o doce amparo do Divino Amigo a dizer: não tema; você não está só. Confie. A lagarta precisa aceitar o casulo para se tornar borboleta

 

Os ciclos do caminho

Vida é mudança. É crise. E crise é oportunidade de expandir a visão e as crenças sobre o mundo e sobre nós mesmos, obrigando-nos a sair do conforto do que conhecemos e nos lançar a campos novos, estranhos e ameaçadores, muitas vezes ocultos no nosso interior.  

 

Aceitar a mudança é amadurecer. É mergulhar na terra e germinar. É florescer e frutificar, expandindo perfumes e alimentando corações.

 

A alma sabe que este é o tempo de confiar; que a luz sempre esteve no caminho, naquele que caminha e no caminhar.    

Consultas:
 

Instituto Ananda Terapias Integradas

Av. Nossa Senhora de Copacabana, nº 664, sala 706.

Galeria Menescal, portaria 4

Copacabana - CEP: 22050-002

Rio de Janeiro/RJ

Agendamentos:
 

T. 21 2257-2403

C. 21 97681-6633